quinta-feira, 31 de maio de 2007

mundo em blog

Fragmentos inundam a vida. Um blog é fragmentos. Venho aqui, experimentalmente. Quero saber como é se expor pela web, ao vivo e no instante. De que é feita essa transparência, essa conexão com o tempo, esse faceless face-to-face. Uma ilusão de identidades em contato?

terça-feira, 29 de maio de 2007

Aniversário

O dia do próprio aniversário é meio esquisito.
Como um presente, invento esse espaço público onde me dispo, casulo temporário, encapsulada dentro de um pseudônimo.
Minha identidade em trânsito.
Meu coração em sobressalto.
E onde estou?
Passado, presente. O instante,
fragmento que inunda a minha vida.
Público, infinitamente particular.
Não tenho a idade dos blogs, venho experimentar este temporariamente, uma espécie de observação participante para entender o que há nisso de tão fascinante.
São minhas as postagens e as visitas, serão meus, quem sabe, os comentários.

segunda-feira, 28 de maio de 2007

Abismos

Algo descama e desce, inevitável e incontrolável como uma menstruação.

Tenho imagens e palavras, poemas que se insinuam, enquanto o tempo escasseia.

Quero escrever, mas estou sem sentidos.

Minha emoção em desterro me abisma na ausência da cidade da Bahia.

Ladeiras, abismos, sinuosidades:
água terra, isso me alaga e me define, a Bahia,
em todos os seus tempos de ser e de não ser.

A dor se extingue, lenta, inexoravelmente, deixando-me tão deserta quanto antes.

domingo, 27 de maio de 2007

Foto de Mário Vítor


Inaugural
Um quase desejo de estar grávida neste mês de maio.
De transformações que trespassem meu corpo,
sem piedade.
Rotações e movimento, e que sejam inexoráveis.
Mover-se em trânsito para o que seja novo.

Não me contenho mais em mim, presa de peles e moldes de lembranças que passaram e se vingam de mim.
Da estória que não foi narrada, da canção que se calou.

Quero largar essa pele e inventar outras novas,
palavras que me tomem e desesperem.