Blog-episteme (2)

Mas por que uma criatura não pode simplesmente escrever um blog e por ele passear, nesse fazer-dissolver-refazer, sem se perguntar o que é, por que é, qual sua natureza e alcance, status enquanto algo que se publica, etc. etc.?

Presa dessa mania de perguntas e definições (e dessas últimas nem gosto), lá vou eu...

Um blog é um espaço informal, sem marcadores de começo e fim, feito de redes intrapessoais e/ou interpessoais que se conectam e desmancham no ar (literalmente, on-line), sem razão nenhuma que seja necessária, constituinte, definidora.

Sem razão nenhuma: apenas sua misteriosa condição de coisa escrita.
Esse desejo que ninguém diz tão bem quanto Mário Quintana:

Um poema sem outra angústia que a sua misteriosa condição
de poema..

Pois então: por um tempo esse Casulo será um casulo-postal, onde vou depositar notícias de viagem para eventuais navegantes interessados.

Depois disso, será o que vier a ser.

Comentários

Postagens mais visitadas