sábado, 23 de agosto de 2008

Véspera de viagem



Em véspera de viagem, posto, tardiamente, notas de uma outra viagem, quando havia um magnífico azul índigo e dança de palavras. Última ou penúltima viagem, não importa tempo ou lugar.

Quando sabia que não as domino, apenas espero os momentos de sincronicidade em que se estruturam diante de meus olhos, em formas e sons. Música que se harmoniza a si mesma. Sou apenas receptáculo.

Quando aprendi que toda e qualquer palavra me leva ao labirinto no qual meu coração permanece, assim enroscado.

Quando as palavras fazem dança, como se nada se decidisse lá fora.

Amanhecer. Foto de M.Vítor.

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Postagem número 100




Este blog se preenche de silêncio.

O próximo post conta cem, dentro de um tempo que nem percebi.

Poemas desenham sua arquitetura, ainda sem palavras.

Brancos. Foto de M. Vítor.

sábado, 9 de agosto de 2008

Um poema [absoluto] de Adélia Prado




Reza para as quatro almas de Fernando Pessoa


Adélia Prado


Da belíssima "Ode à noite antiga"

resulta que eu entendo, limpo de esforço

e vaidade, se nos fosse possível:

da oração verdadeira nasce a força.

Ninguém se cansa de bondade e avencas.

Os rebanhos guardados guardam o homem.

Todos que estamos vivos morreremos.

Não é para entender que nós pensamos,

é para sermos perdoados.

Pai nosso, criador da noite, do sonho,

do meu poder sobre os bois,

eis-me, eis-me.


Em: Bagagem. Rio de Janeiro, Record, 2003.


Indo de volta pra casa. Foto de MVítor.

domingo, 3 de agosto de 2008

Antigo escrito em agosto




Inventário de dias de agosto.

Poemas caem
como luzes que se apagam.
Imagens sombrias,
marcas de uma dor imemorial,

do existir em qualquer tempo, feição, lugar,
agosto.

Apenas por ser agosto,
é tão sombrio esse vulto de mulher que se esgueira na noite?
e o que dizer dos esconderijos,
do medo, da sombra inimiga e secreta?


[ ...


"Não sei se estou sofrendo
ou se é alguém que se diverte
por que não? Na noite escassa

com um insolúvel flautim.
Entretanto há muito tempo
nós gritamos: sim! ao eterno."

Carlos Drummond de Andrade]
Passing by . Foto de MVítor.