Meninar




Antiga notação, ainda agora real em mim.
Desejo do espaço vazio, tela na qual possa ter um lampejo de mim mesma,
sem os tantos papéis que devo assumir.

Permitir o olhar, a pele porosa,
sinais e sons,
a calma de reconhecer o próprio sentir.

Sem tumulto, no hiato inexistente das transições.
Sem o interdito, o gesto paralisado.

Habitar a casa da poesia.

Um poeta é apenas alguém a se entreter na música das palavras.
A se entre-tecer.
O verbo ‘meninar’, por exemplo, fragmento de canção,
me nina.


Imagem: Igor Souza. Ver http://www.fotolog.com.br/igorsouza/

Comentários

elsa disse…
Amei! Lindo!
Renata disse…
que sensível mestre Ana Cecília!
lindo!
sim adoro brincar com palavras e perceber o que surge daí!
dar vida para elas e ganhar mais vida ainda através delas!!!

um grande beijo!
zilmavelame disse…
me ninar ou meninar... porque ser me(nino) o se me(nina) è eterno. Lindo Ana, como o seu "sempre"! Zilma
Socorro Moreira disse…
Ana Cecília,encontrei em teus poemas, a beleza que procuro depois de tudo.
A gente tem vontade de copiar o blogue inteiro , e postar no mural do mundo.

Leve-os ao nosso endereço.

Um forte abraço.

Postagens mais visitadas