sábado, 29 de agosto de 2009

Rilke: "E por causa de um verso..."



Estas são palavras que me acompanham:

"E por causa de um verso é preciso ver muitas cidades, pessoas e coisas, é preciso conhecer bichos, é preciso sentir como voam os pássaros, e saber com que gestos flores diminutas se abrem ao amanhecer. É preciso poder recordar caminhos em regiões desconhecidas, encontros inesperados, e despedidas que há muito sentíamos chegar - dias da infância, ainda não explicados (...).

E também não basta ter recordações. É preciso saber esquecê-las, quando são muitas, e ter a grande paciência de esperar que retornem por si. Pois as lembranças em si ainda não o são. Só quando se tornarem sangue em nós, olhar e gesto, sem nome, não mais distinguíveis de nós mesmos, só então pode acontecer que numa hora muito rara se erga do meio delas a primeira palavra de um poema".


Rainer Maria Rilke. Em Os Cadernos de Malte Laurids Brigge

Um comentário:

O Sítio do Estrangeiro disse...

Ana Cecília, vi teu blog hoje, pela primeira vez e à primeira vista gostei muito. Desejo entrar mais vezes.
Convido você a entrar no meu:
www.ositiodoestrangeiro.blogspot.com

Abraço