Um poema de Wislawa Szymborska

Prefiro os países conquistados aos países conquistadores
Prefiro ter objeções.
Prefiro o inferno do caos ao inferno da ordem.
Prefiro os contos de fada de Grimm às manchetes de jornais.
Prefiro as folhas sem flores às flores sem folhas.
Prefiro os cães de rabo não cortado.[...]

Prefiro cidades novas com histórias por acontecer às velhas com muitas histórias
Prefiro andar depressa sem ter aonde ir a andar vagarosamente ao meu destino
Prefiro árvores com galhos baixos para que eu possa subir
Prefiro chuva de pingos grossos às que não molham
Prefiro cabelos molhados
Prefiro flores pequenas
Prefiro músicas antigas que contam um caso de amor às novas que não contam
Prefiro inventar minhas lembranças a lembrar da realidade
Prefiro pessoas de sorriso bobo às que não sabem sorrir
Prefiro casas cheias e bagunçadas às silenciosas e impecáveis
Prefiro pés descalços
Prefiro pele nua
Prefiro refazer meus planos a ter controle de tudo
Prefiro objetos de colorido caótico aos serenamente harmoniosos
Prefiro ir de ônibus para pensar e ver a paisagem
Prefiro o frio quando posso me aquecer
Prefiro o calor quando posso nadar
Prefiro os azulejos aos tapetes
Prefiro amigos insanos
Prefiro ter irmãos
Prefiro musicais a policiais
Prefiro ficar suspensa no ar e cair a sempre ter os pés no chão
Prefiro esquecer a lembrar o tempo todo
Prefiro a surpresa
Prefiro a inconstância
Prefiro a espontaneidade
Prefiro a intensidade
Prefiro amar.

Comentários

Postagens mais visitadas