domingo, 21 de março de 2010

Uma belíssima oração para este domingo

Daniel Faria
via "Primeira Pessoa"
via "Literapura"


Amo o caminho que estendes por dentro das minhas divisões.
Ignoro se um pássaro morto continua o seu voo
Se se recorda dos movimentos migratórios
E das estações.
Mas não me importo de adoecer no teu colo
De dormir ao relento entre as tuas mãos.

*

Sem outra palavra para mantimento
Sem outra força onde gerar a voz
Escada entre o poço que cavaste em mim e a sede
Que cavaste no meu canto, amo-te
Sou cítara para tocar as tuas mãos.
Podes dizer-me de um fôlego
Frase em silêncio
Homem que visitas
Ó seiva aspergindo as partículas do fogo
O lume em toda a casa e na paisagem
Fora da casa
Pedra do edifício aonde encontro
A porta para entrar
Candelabro que me vens cegando.
Sol
Que quando és nocturno ando
Com a noite em minhas mãos para ter luz.

*

Amo-te nesta ideia nocturna da luz nas mãos
E quero cair em desuso
Fundir-me completamente.
Esperar o clarão da tua vinda, a estrela, o teu anjo
Os focos celestes que a candeia humana não iguala
Que os olhos da pessoa amada não fazem esquecer.
Amo tão grandemente a ideia do teu rosto que penso ver-te
Voltado para mim
Inclinado como a criança que quer voltar ao chão.

*



Daniel Faria nasceu no dia 10 de Abril de 1971 em Baltar, Paredes, Portugal.Quando faleceu, no dia 9 de Junho de 1999, era noviço no mosteiro de Singeverga.

http://literapurablog.blogspot.com/
Obrigada por essa descoberta, Mercedes!

2 comentários:

Cosmunicando disse...

que bom, Ana... a poesia tocou você tanto quanto a mim, vamos disseminando :)
beijos e bom domingo!

Gerana Damulakis disse...

Uma beleza realmente.