sábado, 23 de abril de 2011

Um canto gregoriano neste sábado de Aleluia. Tão antigo, tão eterno.

A beleza de Deus - esse Tu, a quem incessantemente busco - me surpreende, sempre.


http://www.youtube.com/watch?v=VjNhyHsgU7Y&feature=related


[Tradução do Latim]

Eu Vos adoro, ó Divindade escondida,
que debaixo desses símbolos viveis em segredo.
Meu coração todo se Vos sujeita,
e contemplando-Vos todo desfalece.

Vista, gosto, tato aqui muito se enganam;
mas a fé no que ouvi me dá plena certeza.
Creio no que disse o Filho de Deus;
nada mais verdade que a Palavra da verdade!

Na Cruz estava oculta só a Divindade,
mas aqui também está a humanidade.
Uma e outra coisa creio e confesso,
pedindo o que pedia o ladrão penitente.

Como Tomé, não quero ver as chagas;
confesso-vos, porém, como meu Deus,
Fazei que mais e mais eu em Vós creia,
que em Vós espere e Vos ame.

Memorial da morte do Senhor,
pão vivo que ao homem dais a vida,
concedei à minha alma que em Vós viva,
e sempre saboreie vossas doçuras.

Bondoso Pelicano, Senhor Jesus,
purificai-me da impureza com esse Sangue
de que uma gota só pode salvar
todo o universo, de seus crimes.

Jesus, a quem contemplo agora sob véus,
fazei-me o que desejo com ardor:
que Vos vá ver a rosto descoberto
no gozo feliz da vossa eterna glória. Amen.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Dor






(por sua sensibilidade, filha.)

imagens todas que se toldam, velozes,
águas de nunca visto rio que me acometem

cada gesto, cada som
detalhe mensagem
degustá-los, queria: ver, contemplar

pois que sou contemplativa

águas passam,
passam imagens
fatos já não são
já não haja
que não me tomem

sou eu que me deixo perfurar em todas as camadas de
mielina

por qualquer belo sutil cruel
detalhe dessa vida

às vezes sou névoa e estou imersa
parte indiferenciada

o meu gesto rompe a bruma por vezes e emerge o vulto que sou eu,
singular

húmus, orvalho, sombra nessa clareira

pois não há como depurar a dor da menina que não conheci mas de cuja morte
sei
de cujos 14 anos
sei
de cujo corpo grávido perfurado por 15 balas
sei.


Foto: Nuances. MVítor.