segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Veio dentro da noite




Veio dentro da noite

Veio como magia

Veio belo e terno e triste

como só os mais belos poemas


Veio de muito longe

(mas sem tempo ou espaço ou limites)

Estava ali desde sempre


É para sempre essa luz em teu olhar

Não importa o que aconteça, não importa quanto doa

Essa luz é para sempre,

magia de quem sonha o mistério da vida plena


Assim veio o poema dentro da noite

Pelo olhar da criança que ainda está aqui

Dentro do éter no qual damos as mãos para seguir,

sempre



6 comentários:

Renata Moreira da Silva disse...

ohhh que lindo!!
que esta criança que está ae continue sempre a nos encantar com suas belas palavras!!!

Ana Cecília disse...

...e que nós possamos sempre cuidar muito bem dessa criança que há em cada um. Beijo!

Stela disse...

É domingo, muito cedo ainda, e estou aqui lendo teus poemas ,Ana, e me empanturrando com esse café da manhá poético.
Arrebatador esse poema!

Ana Cecília disse...

Stela, este poema é precioso para mim. É desses que acontecem em um momento iluminado e viram eternos.
Obrigada pela visita!

GeeRocka disse...

Beautiful! I can feel the night's stillness, and see a little light shine into it and grow brighter over the course of reading your poem. Thank you.

Ana Cecília disse...

How beautiful, my dear friend! Thank you, too.