quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

A bordo de um navio chamado Música.



Temos à frente dois dias inteiros de alto mar - pleno mar.

Agora essa cidadela flutuante cruza a superfície das águas, que neste momento têm uma cor entre o índigo e o plúmbeo.

Deslizamos pela superfície líquida do planeta Terra, de cuja forma esférica tenho neste instante uma clara intuição (não é uma apreensão intelectual; é, antes, proprioceptiva).

Tudo é mar e, apesar do burburinho das 3500 pessoas a bordo, prevalece em mim o profundo silêncio do mar e o aparente deserto de suas águas.

Certamente uma sensação ilusória de deserto; assim é o contraste entre faces e almas, entre o oceano em sua superfície e a intensa, prodigiosa vida que ele contém e é. Talvez o oceano armazene, imenso HD externo, as memórias inconscientes e ancestrais dos homens, como no filme Solaris. O elemento água, que é fluido e fluxo, ineludível mutação, pode fazê-lo, ter impressas em si tais memórias – profundas mas imperceptíveis aos esquemas e visão de aparência.

Aqui estamos singrando um dos sete mares do mundo (pelo menos eram sete na história infantil do Gato Azul, que desistia de cruzar os sete mares do mundo na companhia de Martim Pescador, somente para ficar com Pedrinho, seu dono).

A água nos circunda e nos ampara (maravilha do engenho humano). O navio lhe devolve, em troca, a mais bela renda que alguém jamais terá tecido, em fibra ou areia. Esse desenho cria fosforescências e ilumina as águas agora muito escuras.
Tudo isto se funde neste momento presente e real.

Nenhuma terra à vista; sequer pássaros que sinalizem sua proximidade.

Hoje é 8 de janeiro de 2012. São 17 horas e 3 minutos. Sou profundamente grata pela vida.


(Flashes anotados neste linda caderneta florida que ganhei da querida amiga Marina Massimi)

3 comentários:

Renata Moreira disse...

li todinho e amei!!! rs

Unknown disse...

Pois... captar a beleza das coisas que julgamos estarem por aí, nos fazendo companhia, dias e noites, creio eu, somente para pessoas sensíveis.
(Cris Cerqueira)

Ana Cecília disse...

Queridos Cris e Renata,
que bom ter a companhia de vocês a bordo!