segunda-feira, 2 de julho de 2012

Poema eventual





LANTEJOULAS




Palavras soltas para aspergir a alma.

Silêncios inscritos na parede da sala.

Intervalos azuis para a mente.

Contas e lantejoulas.

O brilho azul no olho do gato.

A mira clara e o salto no escuro.

Lantejoulas: estranho ingrediente para um poema.



Foto: Estrelas coloridas em abundância (imagem do Telescópio Hubble).

Um comentário:

Adrianna Coelho disse...


nada fica estranho na sua poesia.

e hoje vim aqui porque estava lendo sua poesia JUGO, que tenho guardada, e bateu saudade até das cores que você empresta às palavras, mesmo às pálidas. :)

beijos, Ana