quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Antigo poema







Algum dia pensei:
de palavras nos fizeram.
(Palavras, as leva o vento.
Já as esquecemos.)

Algum dia pensei:
não tenho palavras,
estéril estou.
Entregues aos monstros,
irremediavelmente,
estamos.
Não nós, não ninguém.
(Perdição.
Algum dia morri-me.)

Algum dia pensei:
eu tinha uma utopia.
(Se a perdi, utopia era.
“O que amas de verdade não te será tirado”.)
A vida presente, concreta enfim:
mas pensei:
buscar minha utopia preciso,
e nada mais.
(Algum dia incompreendi.)

(1977)